A História do Blender

A História do BlenderEm 1988, Ton Roosendaal co-fundou o estúdio de animação holandês NeoGeo. Este estúdio rapidamente se tornou o maior estúdio de animação dos Países Baixos, onde Ton era responsável tanto pela direção de arte quanto pelo desenvolvimento interno do software. Após uma meticulosa discussão foi decidido que os softwares 3D utilizados pelo estúdio na época precisavam ser reescritos do zero. Esta operação teve início em 1995 e o resultado veio a se tornar o software de modelagem 3D que todos nós conhecemos por Blender.

Em 1998, Ton fundou uma nova companhia chamada Not a Number (NaN), para continuar a comercializar e desenvolver o Blender. O modelo de negócios da NaN envolvia oferecer produtos comerciais e serviços em torno do software e, em 2000, a companhia garantiu o crescimento com o financiamento de vários investidores. O objetivo era criar uma ferramenta livre de conteúdo interativo 3D (on-line) e versões comerciais do software para distribuição e publicação.

Infelizmente, devido ao baixo número de vendas e as crescentes dificuldades econômicas, os investidores da NaN decidiram fechar as operações no começo de 2002. O fechamento também incluía descontinuar o desenvolvimento do Blender, mas o grande suporte da comunidade de usuários e clientes não justificava deixá-lo cair no esquecimento. Como recomeçar uma empresa com um time de desenvolvedores suficientemente grande não era viável, em maio do mesmo ano, Ton Roosendaal começou a fundação sem fins lucrativos Blender Foundation.

Big Buck BunnyO primeiro objetivo da fundação foi encontrar um meio de continuar desenvolvendo e promovendo o Blender como um projeto comunitário de código aberto. Em julho de 2002, Ton conseguiu convencer os investidores da NaN a concordarem com um plano sem igual da Blender Foundation, em uma tentativa de abrir o código fonte do Blender. A campanha “Free Blender” (NT: “Libertem o Blender”, fazendo uma alusão ao termo FREE software – sofware livre) procurou levantar 100mil euros, como uma taxa única para que os investidores da NaN concordassem em abrir o código. Para o choque de todos a campanha atingiu o objetivo de levantar a cota em apenas sete semanas. No domingo de 12 de outubro de 2002, o Blender foi lançado ao mundo sob os termos da Licença Pública Geral GNU, e seu desenvolvimento continua até hoje, dirigido por um time de dedicados voluntários de todo o mundo, liderado por seu criador original, Ton Roosendaal.

Com a origem do Blender como uma ferramenta de criação interna, o retorno diário e interação com ambos desenvolvedores e usuários do software foi um de seus recursos mais marcantes. Nos dois primeiros anos e meio de desenvolvimento aberto foi esta característica única do Blender que se provou mais difícil de se organizar e manter.

Ao invés de angariar fundos para buscar desenvolvedores de software, a Blender Foundation decidiu começar um projeto para trazer os mais proeminentes artistas da comunidade, e desafiá-los a criar um emocionante curta de animação 3D.

Desta forma é como começa o “Project Orange” (Projeto Laranja) em 2005, que resultou no primeiro e amplamente reconhecido Filme Aberto (Open Movie) do mundo: “Elephants Dream“, que foi não apenas criado inteiramente utilizando ferramentas de código aberto, mas teve seu resultado final e todos os recursos usados no estúdio publicados sob uma licença livre: a atribuição Creative Commons.

Sintel

Devido ao sucesso esmagador do primeiro projeto de filme aberto, Ton Roosendaal, estabeleceu o “Blender Institute no verão de 2007. Este, é agora o escritório e estúdio permanente para organizar com maior eficiência os objetivos da Blender Foundation. Mais especificamente, para coordenar e facilitar Projetos Abertos relacionados a filmes 3D, jogos ou efeitos visuais.

Em abril de 2008 o “Peach Project” (Projeto Pêssego), com o filme aberto “Big Buck Bunny“, estava completo no Instituto. Em setembro do mesmo ano, o jogo aberto “Yo Frankie!” foi lançado. Dois anos depois, em setembro de 2010, o curta “Sintel” estreou no Netherlands Film Festival (Festival de Filmes dos Países Baixos), com a exibição lotada, em um teatro com capacidade máxima de 450 pessoas.

Em julho de 2009, Ton recebeu o título de Honoris Causa em Tecnologia pela Universidade Metropolitana de Leeds, na Inglaterra, por sua ilustre contribuição para a tecnologia e criatividade.

O começo de 2008 foi também o começo do projeto Blender 2.5, uma enorme revisão da interface, definição de ferramentas, sistema de acesso de dados, manipulação de eventos e do sistema de animação. O objetivo principal foi de reimplementar o núcleo do Blender, originalmente desenvolvido em meados da década de ’90, para atualizá-lo para os padrões de uma interface e métodos de entrada contemporâneos.

Splash Screen da versão 2.57

Uma primeira versão Alpha foi apresentada na SIGGRAPH 2009. O time de desenvolvedores online tem se concentrado em trazer de volta todas as funcionalidades da versõe 2.4x e terminar o novo design de acordo com as especificações. Com este trabalho próximo de estar finalizado, a versão final é esperada para o segundo semestre de 2011.

Graças as doações e patrocinadores, a Blender Foundation atualmente emprega dois desenvolvedores de meio período para apoiar as atividades. Outro desenvolvedor e Ton Roosendaal estão contratados integralmente pelo Blender Institutute para trabalhar no Blender.

.

Amsterdam, Janeiro de 2001.

(este texto está no domínio público e pode ser copiado livremente)

.

A História do Blender, retirado de: http://www.blender.org/…/history/

Traduzido por: Francisco NQATSi

.


.

Edit: Para ilustrar este post, nada melhor do que este vídeo do Allan Brito!

Abraços! : )

.

Anúncios
A História do Blender

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s